OBRIGADO, MÃE BERTA

MÃE BERTA

São várias as gerações que têm o privilégio de a conhecer. Berta, para uns, tia Berta, para outros, avó Berta, para outros ainda, ou simplesmente D. Berta. Quem a conhece, sabe de antemão que, se houvesse uma madre em Bissau, Berta de Oliveira Bento seria a Madre Berta de Bissau.

Isto não é exagero algum. Talvez para quem a não conhece possa induzir num eventual exagero. É evidente que sou suspeito, pela relação de amizade que tenho o privilégio de ter com alguém que para mim é uma mãe. Mas não acredito que ninguém e que a conhece não seja igualmente suspeito.

Falar da mãe Berta não é fácil, mas também não é difícil. É avessa a protagonismos, sempre com um sorriso encantador, palavras doces e sábias, que são impossíveis de não as ouvir.

Creio, sinceramente, que a homenagem no site/blog é mais que merecida, embora o reconhecimento que todos nós lhe devemos, por tudo o que fez por meia Guiné-Bissau e meio Portugal, seja a razão da, juntos, lembrá-la sempre com carinho.

Mais, creio que todos os que sabem desta homenagem e que estão espalhados pelo mundo inteiro – há pessoas, a título de exemplo, em Timor-Leste – estão hoje aqui, connosco, para lhe dar um beijo.

Mas o que dizer de uma pessoa que vem para a Guiné em 1948 com uma licença de 30 dias e que por lá está há…61 anos?

O que dizer de uma pessoa que mantém amizades com centenas, arrisco-me a dizer milhares, de cidadãos do mundo e que tem uma facilidade espantosa em criar diariamente outras.

O que dizer dos seus amigos que, diariamente também, a acompanham nalguns casos há mais de 30 anos? Não é verdade Armando Gomes , há 34 anos a trabalhar como cozinheiro na Pensão Central? Não é verdade Alves Té, que está lá há 18? Não é verdade Laurinda Cardoso, há 17? Não é verdade, Inácio Bíquer, há 10? Peço desculpa por não citar todos, mas, se continuasse, nunca mais pararia.

A mãe Berta trata-nos como filhos, os filhos que nunca teve, porque, sustenta, “Deus não quis”. Passe a expressão e a presunção, assim tratou, por exemplo, Otelo Saraiva de Carvalho, António de Spínola, Luís Cabral , “Nino” Vieira, entre tantos, tantos outros.

Assim trata os milhares e milhares de amigos que passam pela sua vida. Que se saiba, deve ser a única pessoa no mundo que não tem inimigos. 

Ainda hoje, e já lá vão 46 anos de Pensão Central, sacia a fome de muitos os que lhe surgem pela frente e que não têm dinheiro para pagar. Ainda hoje, abre sempre aquele sorriso doce a quem lhe surge pela frente, quanto mais não seja apenas para desabafar.

Há sempre uma palavra de conforto, uma sabedoria própria e frases oportunas que nos animam e que nos obrigam a continuar em frente.

Falar da mãe Berta é falar também da brincalhona, da Berta que, muitas vezes, no meio desse sorriso encantador, mostra o matreiro. No bom sentido, é evidente.

Quantos e quantos de todos aqueles que a conhecem ficam desconcertados com as suas brincadeiras, com as suas frases certeiras, que, a princípio, não nos damos conta, mas que, depois, acabamos por rir às gargalhadas, entrando num mundo que só a “mãe” Berta sabe criar.

Não sei, mãe Berta, quanto lhe devo. Não sei, também, mãe Berta, quantos são os que lhe devem e quanto lhe devem. Sei apenas que a minha vida ficou muito mais enriquecida desde que a conheci. Sabemos todos, creio, o valor da sua amizade incondicional.

Para terminar, e lembrando que sou jornalista, não posso deixar de fazer um pequeno apontamento, uma pequena crítica. A mãe Berta é de Cabo Verde, é certo, da ilha do Maio, tal como diz a mãe Berta, “ a ilha mais bonita do mundo”.

Mas está na Guiné há 58 anos, muito mais de metade da sua vida. Seria bom que as autoridades guineenses também reparassem que há uma Senhora que merece ser reconhecida a nível nacional por tudo aquilo que continua a fazer pelo país.

Uma homenagem? Uma estátua? Uma rua? A mim, isso já não me interessa. Para mim, e penso que falo em nome de muitos de nós, o nome de Berta de Oliveira Bento está perpetuado há muito nas nossas memórias e bem junto aos nossos corações.

OBRIGADO, MÃE BERTA.

José Sousa Dias

Anúncios

5 comentários

Filed under 1

5 responses to “OBRIGADO, MÃE BERTA

  1. Susana

    Besinhos desde Egipto tambem!!! a sua sempre nietinha espanholita Susana… lembrome sempre da minha avo Berta, e de suas sopas e jantares, do suo aniversario, dos abraços e besinhos. Besazo enorme!!! Su… a pensao central a de ser nombrada Pensao Dona Berta

  2. Otilia Oliveira

    D. Berta,

    Amiga, Mãe, Avó, Directora Espiritual…
    Senhora da descrição, da sensatez, do bom senso… dou graças a Deus por me
    ter colocado no seu caminho, D. Berta! Quase que invejo essa sua capacidade
    de fazer amigos com a mesma naturalidade com que se respira…
    Obrigada, pela sua presença, ao longos destes já muitos anos, obrigada pela
    serenidade com que me(nos) sabe acolher fazendo-me(nos) sentir que tenho
    (temos) um lugar muito especial no seu coração!
    Nunca a esqueço, querida amiga!

    Um abraço (bem apertado) da
    Otília

  3. Mãe Berta
    Como fiquei emocionada e muito contente de saber que ainda existe a sua pensão e a mãe Berta esta bem, foi muita gente que passou por ai, talvez já não se recorde de mim mas foi ai que engravidei o meu primeiro filho, o Nuno o 1º filho dele vai nascer em Agosto, portanto vou ser avó Era e sou professora de Educação Visual…
    Adorava ter um afilhado da sua querida terra Bissau.
    Estive ai entre 1970 a 1972 um período já um pouco atribulado…
    Gostava muito de si e foi sempre muito carinhosa comigo… e os seus gelados que delicia.

    Espero comunicar mais consigo apanhou-me de surpresa e fiquei muito feliz
    Tenho muitas fotos de Bissau, da pensão, e dos meus alunos ainda tenho as fotos e cadernetas da Escola Industrial e Comercial de Bissau. E do Liceu
    Um grande beijinho
    Tudo de bom para si…ate breve A sempre amiga Gisela

  4. Como fiquei emocionada e muito contente de saber que ainda existe a sua pensão e a mãe Berta esta bem, foi muita gente que passou por ai, talvez já não se recorde de mim mas foi ai que engravidei o meu primeiro filho, o Nuno o 1º filho dele vai nascer em Agosto, portanto vou ser avó Era e sou professora de Educação Visual…
    Adorava ter um afilhado da sua querida terra Bissau.
    Estive ai entre 1970 a 1972 um período já um pouco atribulado…
    Gostava muito de si e foi sempre muito carinhosa comigo… e os seus gelados que delicia.

    Espero comunicar mais consigo apanhou-me de surpresa e fiquei muito feliz
    Tenho muitas fotos de Bissau, da pensão, e dos meus alunos ainda tenho as fotos e cadernetas da Escola Industrial e Comercial de Bissau. E do Liceu
    Um grande beijinho
    Tudo de bom para si…ate breve A sempre amiga Gisela

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s